“É melhor ter um site, uma página ou um perfil no Facebook?”

Como trabalhamos com empresas pequenas, SEMPRE recebemos esta pergunta. E é sobre isso que vou falar hoje 🙂

1. No Facebook, se você é uma empresa, ou um profissional, tenha sempre uma PÁGINA e não PERFIL

Os perfis são para pessoas, as páginas, para empresas, negócios. Com uma página no Facebook você tem acesso a diversos recursos para empresas, como os Insights (relatórios do Facebook para saber quem são seus seguidores) e também o Gerenciador de Anúncios, para promover postagens.

“Ah, mas na página eu não posso convidar ninguém pra ser meu amigo”… Gente, além de isso ser chato, não demonstra nenhum profissionalismo. Faça um trabalho de social media legal, e atraia novos seguidores, compartilhe com os amigos para eles ajudarem você a se divulgar, invista em Ads.

Para quem tem um perfil e deseja migrar para uma página, existe uma opção para “mesclar” o perfil com Páginas.

 

2. “Eu devo investir em um Site ou Página no Facebook?”

Eu diria que depende muito do tipo de negócio e da jornada de compra do cliente. Primeiro é importante explicar que um site funciona como um “cartão de visitas digital”. É onde você vai explicar em um só lugar o que é a sua empresa, o que ela oferece, etc. O site também é importante para o posicionamento no Google, pois tem muito mais indexação do que o Facebook. No site você também pode ser mais explicativo, usar mais palavras para escrever textos, etc. Por exemplo, para empresas de consultoria como a Nico, que tem como objetivo se comunicar com um público mais abrangente – empresas e profissionais de todo Brasil, ter um site é fundamental. Nesses casos a jornada de compra do consumidor com certeza passa pelo Google. Ter um Facebook talvez não seria tão importante quando um Linked In, Slideshare ou Pinterest por exemplo. Entretanto pode ser através do Facebook, de um anúncio, que um futuro cliente pode se interessar por algum trabalho e clicar no site para saber mais.

As redes sociais, como o Facebook, servem para manter relacionamento com o cliente. É claro que você pode explicar sobre a sua empresa, e ter os mesmos recursos que um site – compartilhar fotos, conteúdos. Porém no Facebook você DEVE ser mais sucinto (usar menos caracteres para escrever), ter conteúdos diversos e mais visuais, e ter mais frequência de atualização. Além disso, se o seu cliente entra no seu Facebook ele provavelmente não vai olhar toda a timeline para entender o que você faz, pois isso levaria horas. Ele vai clicar no site, que concentra em um mesmo lugar as informações. Da mesma forma, ele não vai acessar sempre o seu site, mas vai interagir com a sua publicação no Facebook para manter um relacionamento.

 

Então fica para a reflexão:

  • Negócios locais em que o Google não é relevante, podem ter apenas uma página no Facebook. Ex: lojas que vendem apenas para a cidade e região não precisam investir em um site.
  • Negócios locais em que o Google é relevante devem ter uma página no Facebook e um site. Ex: consultórios médicos, profissionais autônomos como advogados, consultorias, etc.
  • Negócios que podem atender outras cidades, estados, países devem ter uma página no Facebook e um site, pois com certeza o cliente potencial pode utilizar o Google para encontrar essa empresa.
  • Negócios digitais, como lojas virtuais, softwares, etc, devem ter uma página no Facebook e um site.

 


Nós podemos ajudar vocês nesse processo! Desenvolvemos tanto sites institucionais e lojas virtuais quanto Facebook e outras redes sociais. Entre em contato conosco para saber mais 🙂

Gostaram?

Qualquer coisa entrem em contato conosco!

Postar um comentário