Como usar os gatilhos mentais no seu planejamento de conteúdo

Já ouviu falar em gatilhos mentais? Não?! Gatilhos mentais são técnicas de persuasão que relacionam suas emoções e percepções sociais, fazendo com que seu cérebro atue de forma impulsiva diante de algumas situações e decisões. Não estamos falando de decisões grandes, como a compra de uma casa, mas sim de decisões básicas do dia a dia. Se você está em uma festa e está muito quente, por exemplo, você não vai pensar muito antes de comprar uma água que custa R$5,00, é algo intuitivo. Você está com sede, você compra.

 

E é exatamente sobre o poder dos gatilhos mentais no marketing que vou falar hoje 🙂 Precisamos entender como funciona e como isso pode nos ajudar a planejar e pensar o nosso marketing de conteúdo.

 

*Ps: essa técnica possui diversas formas, mas hoje vou compartilhar com vocês as que consideramos mais poderosas e como isso pode ser usado no seu negócio.

Escassez

“Só deu valor depois que perdeu” – quem nunca ouviu essa frase? A mesma lógica pode valer para negócios. Quanto mais único, exclusivo, difícil de conseguir for um objeto, maior será o desejo de tê-lo. Isso porque as pessoas costumam dar valor ao que é escasso.

Como usar e onde usar? Essa técnica é usada quando o consumidor não se sente totalmente seguro de comprar seu produto, mas não deixa de ter interesse em adquiri-lo. Frases como “Apenas 1 em estoque”, “últimas vagas”, “vagas limitadas”, etc., podem fazer com que o consumidor haja de maneira rápida pois automaticamente pensa que não pode perder aquela promoção e aquele item.

Urgência

Assim, como na escassez, o cliente não se sente seguro para comprar seu produto e adia a compra. Por isso, o uso de termos como “Só até hoje”, “Sua última chance”, “Hoje é o último dia”, etc. Mas lembre-se sempre que, se for usar essas técnicas, tem que ser em situações reais, se não o consumidor pode perceber um padrão e se sentir lesado.

Reciprocidade

Gentileza gera gentileza, não é mesmo? Essa técnica é a base do inbound marketing, pois retribui a quem gera valor de alguma forma. Mas a empresa tem que fazer de coração mesmo, não adianta engajar em uma causa que sua marca não veste a camisa, o consumidor perceberá e a ação pode se tornar um tiro no pé. Como usar? Ofereça materiais gratuitos, em troca de uma inscrição em seu site, o consumidor não vai ver problema de te dar certas informações se for ganhar algo em troca.

 

E aí? Curtiram?

Espero que vocês possam usar essas técnicas de alguma forma no dia a dia da empresa de vocês!

Até maisss,

 


a

Giulia Comarin

Estudante de Publicidade e Propaganda na ESPM-SUL e assistente de comunicação aqui na Nico.

Sou apaixonada por marketing digital, social media, feed bonitinho e amo viajar!

Segue lá @giuliacomarin.

Postar um comentário